sexta-feira, 26 de junho de 2009

A morte de uma estrela

A morte de uma estrela
Renasce em energia,
O brilho permanece
Anos-luz.
A morte de uma estrela
Que foi do céu, ao inferno,
Do céu, ao inferno...
Não importa, é eterno.
A morte de uma estrela

Sempre deixa saudade.

*ao Michael Jackson (1958/2009)

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Quando eu crescer...

Quero ser poetiza como minha avó.
Contar causos, contos, sonhos,
e através de palavras encantadas
expor ao mundo o meu mundo.

Quero ser bailarina como minha tia.
Extravasar e experimentar.
Na ponta dos pés dançar
até alcançar a arte de equilibrar!

Quero ser professora como meu pai.
Ensinar, aprender, estudar
a vida, o universo e tudo mais.
Ter a coragem de voar.

Quero ser jornalista como minha mãe.
Escutar, apurar, entrevistar, escrever.
Quero entender o porquê.
Mas... Para quê?

Quero ser calma e serena como um yogue.
Escutar antes de falar.
Não quero gritar ou esbravejar.
Quero é meditar!

Quando eu crescer quero...
Felicidade, amizade, fraternidade.
Amor, humor, calor.
Ser forte e ter sorte.
Compreender aquela briga,
Evitar a fadiga,
Ter vida ativa!

Quando eu crescer quero...
Você ao meu lado
uma roda de grandes amigos,
contar as histórias de uma vida,
cantar as músicas antigas,
relembrar os sonhos e desejos
e ter a certeza de que eu ainda quero...

terça-feira, 9 de junho de 2009

Beep-Polares


Hoje tem apresentação dos Beep-Polares no Coversa Afinada em Ipanema.

Muita irreverência com Igor Cotrim e Pedro Poeta.

Confiram!

Beco

No meu beco
Vejo flores,
Me entupo de doces,
Sinto sabores.

Cantam pássaros,
Brincam crianças,
Beijam os amores.

No meu beco
A vida é uma só.
Muitos caminhos,
Rumos e destinos.

Sigo com amor,
Sorrio para a dor,
Esqueço o rancor.

No meu beco
Cabe de tudo,
Por isso respire fundo
E se entregue ao mundo.

Para viver com arte,
Ser forte,
Ter sorte.

No meu beco sem saída
Há uma trilha.
No meu beco sem saída,
Está o espaço astral.

No meu beco a saída é o infinito
(de nós dois).

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Poema para Beatriz

Beatriz,
Você é flor-de-lis,
Cheirosa, frágil e bela,
Com um lindo nariz
Que não parece um chafariz.
Amada Beatriz,

Uma eterna aprendiz.
Vai escrever e apagar
As páginas da vida
Com giz.
Doce Beatriz,
Não chore por um triz, tudo passa,
Não precisa chamar o juiz.
O que sobra é a nossa raiz.
Ai Beatriz, Beatriz,
Vai dar muito trabalho,
Será vanguardista como Leila Diniz.
Quase uma imperatriz!
Sem nenhuma cicatriz,
Garanto que será feliz!